CONTAF

This blog is written by the Applied Arts/ Ceramics undergraduate course staff, at the Federal University of São João del-Rei, Brazil. We'd like to share our experience, our work and research results and, of course, present our place and introduce you our people.



No ano de 2010 o curso de Artes Aplicadas recebeu o CONTAF - Congresso Nacional de Técnicas para as Artes do Fogo, principal evento na área da cerâmica e que foi realizado nas dependências da UFSJ, dias 20, 21 e 22 de outubro.



sábado, 30 de outubro de 2010

Oficinas do Contaf 2010: Construção de um forno de Cupinzeiro

A professora Zandra Coelho de Miranda apresentou no Contaf uma oficina de construção de forno para cerâmica utilizando um cupinzeiro.
O cupinzeiro obtido é bem grande (aproximadamente 1,50m de altura, além de largo. Foi levado até o pátio dos fornos da Oficina Escola de Cerâmica da UFSJ com o auxílio de um caminhão.
É possível fazer fornos com cupinzeiros menores.
O primeiro passo é serrar a tampa do cupinzeiro. Devido à saliva das térmitas, o barro exterior endurece, ficando resistente à água. Portanto esta é uma operação que exige bastante esforço.
Detalhe do corte da tampa do forno de cupinzeiro.
O cupinzeiro é adequado à construção de fornos porque, além de ser feito de barro, é todo aerado, pois as térmitas cavam galerias dentro dele. Isso torna o material um excelente isolante térmico. Além de ser gratuito, bastando para isso ser escavado do solo e transportado até o local.

Após a retirada da tampa cortada, é hora de delimitar a espessura da parede (aprox. 15 cm) e escavar o interior.
Ele só é duro próximo à casca, por dentro é mais macio de ser ocado. Vejam os furinhos das galerias das térmitas.
Aqui, a professora Zandra terminando de escavar o interior do cupinzeiro.

Há um furo na base, que serve de câmara de combustão (boca de fogo), onde foi colocada uma grelha de metal.

No lado oposto à tampa foi feito um furo, que será a chaminé.

Os congressistas participantes dessa oficina já esmaltaram umas peças, que aguardam junto ao forno para serem carregadas.

Uma vista do interior do forno, com a placa refratária sobre a qual são colocadas as peças.

A professora Zandra acendendo a fornalha para iniciar a queima no forno de cupinzeiro.

O forno, ao final da queima, atingiu mais de 1.000 graus em atmosfera neutra, e a queima durou aproximadamente 5 horas.
Fotos: Luciana Chagas
Posted by Picasa

6 comentários:

  1. Achei muito interessante. Gostei demais!!!!!!!!
    Abraços

    Sol

    ResponderExcluir
  2. não acredito que esse forno chega aos 1000 graus

    ResponderExcluir
  3. Olá, muito legal o projeto de vocês, parabéns. Uns dois anos atrás eu também construi forno semelhante, aproveitando um cupinzeiro que estava no meu quintal. Mas neste caso, o uso foi para assar pizzas. Vejam: http://blog.photoinnatura.com/2009/12/pizza-de-cupim.html Abraços e sucesso!

    ResponderExcluir
  4. muito criativo. parabéns. não deixem de visitar nosso site... www.CaracolAfricano.com... lá também tem muita coisa interessante... até sobre o aproveitamento do Africano como alimento para o homem.

    ResponderExcluir